A minha vida com o doutoramento

31 de agosto de 2006

Genebra: sessões

Depois de muito analisar o programa do ECER 2006, aqui fica a minha selecção, por sessão.

Session 1: 2006-09-13 10:30-12:00 Room S040
NETWORK 1: Continuing Professional Development for Teachers and Leaders in Schools
- How do Teachers Learn and Develop throughout their Professional Career? The Case of French Teachers in Compulsory Education and within an Educational Priority Area

Session 2: 2006-09-13 13:30-15:00 Room S030
NETWORK 1: Continuing Professional Development for Teachers and Leaders in Schools
- Teachers' Knowledge - Paradigms, Discourses and Perspectives - Outlining Areas of Research
- The Bones Beneath: Paradigms and Discourses of Teaching Shaping Teachers' Knowledge

Session 3: 2006-09-13 15:30-17:00 Room 2170
NETWORK 10: Teacher Education Research
- Students' Views of Research-Based Teacher Education

Session 4: 2006-09-13 17:15-18:45 Room 2020
NETWORK 10: Teacher Education Research
- Student Teachers' Ideas of Writing a Scientific Thesis within Teacher Education in Finland

Session 5: 2006-09-14 08:30-10:00 Room 2020
NETWORK 10: Teacher Education Research
- Transforming Knowledge in Preservice Teacher Education Professional Experiences

Poster Presentation 2006-09-14 09:00 Exhibit Area
NETWORK 22: Research in Higher Education
- Bridging the Gap: Changing Learning Conceptions in Higher Education as Shapers of Knowledge

Session 6: 2006-09-14 10:30-12:00 Room 2020
NETWORK 10: Teacher Education Research
- From Initial Qualification to Continued Education: Research in the Teaching Practice
- Reflecting on Research
- Transforming Teacher Pedagogical Knowledge and Practice through Action Learning

Session 7: 2006-09-14 15:30-17:00 Room S030
NETWORK 1: Continuing Professional Development for Teachers and Leaders in Schools What Teachers Know and Researchers Should Do

Session 8: 2006-09-15 08:30-10:00 Room UNI PIGNON S01
NETWORK 3: European Curriculum Research
- An Approach to the Introduction of Elementary Astronomy Concepts in Early Education

Session 9: 2006-09-15 10:30-12:00
??????

Session 10: 2006-09-15 - somos nós a apresentar!!!! :)

Session 11: 2006-09-15 16:45-18:15 Room 2170
NETWORK 10: Teacher Education Research
- Professional Skill in a Wide Sense-in Search of Concepts Open to Complexity and Ambiguity in Teaching

Experienciado por Maria @ 6:29 da tarde 0 comentarios


Genebra: tempo

Aqui podem encontrar as médias e as probabilidades...

temperaturas entre os 10ºC e os 29ºC (nos máximos) com maior probabilidade de andar pelos 21ºC. 33% de probabilidade de céu com nuvens.

por aqui,as previsões confirmam os dados: uns dias sunny outros partial sunshine, temperaturas entre os 10ºC e os 23ºC.

Não está mau! :)

Experienciado por Maria @ 1:09 da tarde 0 comentarios


30 de agosto de 2006

Coisas de que nunca me tinha apercebido...

O Kenneth Zeichner, a Elizabeth Graue, o Michael Apple e o Thomas S. Popkewitz pertencem todos ao curso (graduate program) de elementary education da Universidade de Wisconsin-Madison. Na mesma universidade, mas na área de estudo das TIC, estão lá o Kurt Squire e a Constance Steinkuehler. O James Paul Gee está ao lado, nos Literacy Studies e o B. Robert Tabichnick é professor emérito da mesma universidade.

Uau!...

Uau!...

Uau!...

Experienciado por Maria @ 9:22 da tarde 2 comentarios


Para mim faz sentido...

Many doctoral researchers are adopting interpretive epistemologies of inquiry in which research design is emergent and is shaped by the developing subjectivity of the researcher-as-learner. When interpretive researchers also adopt narrative modes of inquiry and literary genres for representing their unfolding relationships with the participants of their inquiry (including the reader of their thesis), then the question arises as to what might constitute an appropriate thesis structure. We believe that, in succumbing to the structural template of positivism, interpretive researchers are in danger of creating distorted portrayals of their inquiries as timeless, lacking in contingency and without an emergent nature. In this paper we argue for a diachronic structure that allows the narrative flow of the inquiry to be revealed. Drawing on a recently completed doctoral study, in which a multimedia educational program was designed and implemented by the first author, we illustrate how a screenplay metaphor combined with electronic hyperlinking provided a non-linear thesis structure that allows multiple reading pathways, exploration of rich documentation and viewing of successive multimedia prototype designs.
REPRESENTING THE FLOW OF R&D IN A THESIS: DIACHRONIC STRUCTURE & HYPERLINKING
Andrew J. STAPLETON (Swinburne University of Technology) e Peter C. TAYLOR (Curtin University of Technology)


Experienciado por Maria @ 5:36 da tarde 0 comentarios


Sentimentos


Research can be both a frightening and transformative experience. It brings with it the potential to paralyse and to liberate us. It can, at times, be so overwhelming, it renders us silent. Sometimes, it can help us find our deepest and most powerful voice.

Retirado do paper: Becoming a researcher (Laura Brearley) que eu TENHO que ler! :)

Ando a trabalhar MUUUUUITO! Vejam aqui.

Experienciado por Maria @ 2:45 da manhã 0 comentarios


Uma das razões porque não fui de férias

Experienciado por Maria @ 2:10 da manhã 2 comentarios


Papa formigas

Recordando que é um motor de busca de cientistas portugueses e as palavras iniciais sobre a sua criação:

Apesar de ainda haver muito para fazer, a verdade é que Portugal está a fazer um investimento considerável na formação avançada de recursos humanos. Este esforço, que já começou há alguns anos, está a ter como resultado a formação de uma verdadeira rede de académicos portugueses espalhados pelos quatro cantos do mundo e inseridos nas melhores universidades. Muitas destas pessoas reconhecem o apoio que lhes foi dado e estão dispostas e interessadas em manter a ligação a Portugal, partilhando todo o conhecimento que até ao momento adquiriram. O Papaformigas.com é apenas uma ferramenta que tenta servir de interface desta rede. Este site é gratuito e foi desenhado para ser o mais funcional e simples possível.
aproveito para informar que neste momento estão 971 investigadores inscritos, dos quais apenas 16 surgem quando se pesquisa por "educação". Falta tão pouco para a barreira psicológica dos 1000!! Eu, a Teresa, a Sónia, a Mónica e o Nafergo já lá estamos... E tu? O que esperas? ;D

Experienciado por Maria @ 1:21 da manhã 0 comentarios


Nova workshop: Comunicar Ciência



Data: 27 a 30 de Setembro

Local: Instituto de Biologia Molecular e Celular ; Rua do Campo Alegre, 823—Porto

Participantes: 16 cientistas/investigadores

Objectivos:

- Dar a conhecer aos investigadores os meios à sua disposição para a comunicação do seu trabalho: escrita, meios audiovisuais, internet;
- Tornar os cientistas mais eficientes na comunicação (escrita e falada), com o público e com os media;
- Motivar e dar ferramentas aos investigadores para serem mais pró-activos na realização de actividades de comunicação de ciência com o público e com os media;
- Dar a conhecer aos investigadores o funcionamento dos media de forma a desdramatizar a interacção entre os cientistas e jornalistas;
- Dar a conhecer aos investigadores as várias perspectivas e correntes de pensamento internacionais em relação à comunicação de ciência e à literacia científica.


Inscrições

Custo: 100 €

A inscrição cobre almoços e cafés. A organização não cobre despesas de jantar, alojamento ou deslocações dos participantes.

Para se candidatar preencha o formulário de candidatura até à data limite de 5 de Setembro.


Organização Geral:

Ana Godinho Coutinho (Stem Cell Research, Edinburgo, Reino Unido)
Mónica Bettencourt-Dias (Cambridge University, Reino Unido)
Sofia Jorge Araújo (Instituto de Biologia Molecular de Barcelona, Espanha)

Organização local

Júlio Borlido Santos (Instituto de Biologia Molecular e Celular)
Rita Portela (Instituto de Biologia Molecular e Celular)


Para mais informações contacte:info@comunicar-ciencia.org ou visite o site

Experienciado por Maria @ 12:51 da manhã 0 comentarios


28 de agosto de 2006

Alunos

Seguindo a sugestão da Teresa, fui espreitar o blog do José N. Azevedo, onde encontrei um post que, em particular, me fez pensar. Sobre os meus/nossos alunos e o que fazemos com eles.

Queixo-me muito do que eles não fazem, do que não lêem (e lêem tão pouco que chego a ficar sem palavras), do que não experienciam, do que não arriscam, do que não procuram, do que não os preocupa, das perspectivas e expectativas que nem vislumbram, do pouco que sabem sobre o mundo profissional que os espera, do que não opinam (nem se apercebem) sobre as controvérsias nessa área... Tudo lacunas, falhas, défices.

Fiz o esforço de recordar os meus últimos três anos de docência, aqui em Lamego, em busca de sinais de que as coisas podem ser diferentes. Deixo alguns tijolos para tentar construir uma concepção diferente dos meus alunos.

2003/04
- Três alunas aceitaram o meu desafio e participaram no I Congresso Internacional sobre Mapas Conceptuais, na Universidade de Pamplona, com um poster que resultou de um trabalho por elas desenvolvido no estágio do 3.º ano. Foi um sucesso, com o próprio Joseph Novak a dar-lhes os parabéns e a referir-se ao nosso trabalho como um exemplo de boas práticas na sua conferência de encerramento do congresso.


2004/05
- Nove excelentes alunas aceitaram participar num projecto de implementação de mapas conceptuais na educação pré-escolar, trabalhando com a abordagem de projecto. No final do ano, organizaram e apresentaram comunicações no I Seminário sobre Abordagem de Projecto no Jardim-de-Infância da ESE de Viseu.

- Duas das três alunas que foram ao Congresso dos Mapas Conceptuais, apresentaram esse trabalho no I Congresso dos Alunos da ESE de Viseu, tendo ganho o prémio para Melhor Comunicação.


Nesse mesmo congresso, uma das duas turmas do 3.º ano apresentou um conjunto de 10 posters que descreviam a animação histórica que tinham desenvolvido no Museu de Lamego no âmbito do evento: "Ouro na Cultura Portuguesa: Trajar e Ourar da Mulher Portuguesa do Século XVIII". Receberam o prémio para Melhor Poster.


- Arrancou a Intervir.net, comunidade virtual de aprendizagem, onde, actualmente, 279 de 486 Membros colocaram 12080 posts em 21 fóruns onde existem 1067 tópicos. Discute-se de tudo, com gente de muitos locais de Portugal: a maioria alunos quer de formação inicial quer de pós-graduada. É uma aprendizagem constante!

2005/06
- Em conjunto com uma colega da Universidade dos Açores, organizámos um Simpósio sobre Concepções de Crianças em idade pré-escolar, no VIII Congresso Galaico-Português de Psicopedagogia, Univ. do Minho. Cinco recém licenciadas da ESE de Viseu e três alunas da Univ. dos Açores apresentaram trabalhos seus nesse simpósio.

- Com muito orgulho, apresentei em colaboração com uma ex-aluna um trabalho desenvolvido sobre concepções sobre aprender de crianças em idade pré-escolar no 1.º Congresso Internacional sobre Aprendizagem na Educação de Infância, no Porto. No mesmo evento, outra ex-aluna apresentou uma comunicação sobre a sua monografia e uma terceira um poster. No total, seis recém licenciadas da ESE de Viseu foram ao congresso.


- Todas as alunas do 3.º ano se envolveram num processo de investigação sobre concepções de crianças sobre diferentes fenómenos. No 2.º Congresso de Alunos da ESEV apresentaram os resultados dos seus estudos quer em comunicações (quatro) quer em posters (quatro) e, mais uma vez, tivemos o vencedor da Melhor Comunicação. Fiquei incrivelmente feliz quando dois dos grupos que o ano passado tinham participado se propuseram a participar novamente este ano, com posters sobre os projectos desenvolvidos com as crianças.

- Posso indicar 10 blogs de ex-alunos que arrancaram este ano e que se mantêm activos (uns mais do que os outros...) e que mostram a forma como algumas pessoas se apropriaram maravilhosamente desta possibilidade de comunicação:

-------------------------

A minha conclusão é simples: não chega. Sabe bem, sabe a gente a aceitar e conquistar desafios, mas sabe a pouco. Como fazer mais?


Experienciado por Maria @ 6:56 da tarde 0 comentarios


Registos

Motivada pela necessidade de organizar os posts referentes a efectivo trabalho no doutoramento e pela curiosidade de experimentar o wordpress, criei um novo blog: Registos (doutoramento), onde serão registadas ideias, produções, pesquisas, etc., referentes ao doutoramento em si.

Por aqui se manterão os posts referentes ao que é viver com o doutoramento :)

Experienciado por Maria @ 5:20 da tarde 0 comentarios


Há dois anos...

... depois de um namoro expresso e inesperado, eu e o Nafergo (aka Nelson aka Xana) casámo-nos.

Eu que não pensava casar-me, que nunca tinha planeado o "meu casamento", nem pensado no que isso implicava em termos de organização; que nunca me tinha ocorrido antecipar o impacto de tal acontecimento (ainda por cima de repente!) nas pessoas que me conheciam, etc., preocupei-me apenas com as coisas boas do dia e senti-me muito, muito feliz o tempo todo!

Deixo algumas fotografias desse dia.

O antes...

O meu bouquet de flores das dunas da Figueira da Foz e o pormenor das lantejoulas cozidas pela minha mummy no bordado do vestido (era uma túnica de praia) que também foi reforçado com fio dourado.


O lindíssimo arco de flores e nós dois.


Muito amor e felicidade logo a seguir (e em cada dia que se seguiu até hoje!... lamechice mas verdadeira).

Experienciado por Maria @ 12:47 da manhã 8 comentarios


26 de agosto de 2006

Dias animados

Depois de uma visita do Miguel, Isabel e Inês que deixaram saudades e vontade de investir muito e rapidamente no doutoramento (terça e quarta), fomos assistir ao espectáculo dos Wok Ritmo Avassalador (quinta) e fomos dar por nós a passear no Santuário da N. Sra. dos Remédios no final do dia (sexta) com descobertas fascinantes na mata que sugerem que a próxima animação do 3.º ano se vai mudar da Alameda para ali...

Hoje, regressei à pesquisa de artigos. A lista já é gigante...

Experienciado por Maria @ 2:48 da tarde 0 comentarios


Pistas...

O Prof. Joaquim Brasil-Neto deixou a pista no seu blog, NeuroNews e eu segui-a até um artigo fabuloso da Scientific American.

Como é que as pessoas se tornam especialistas numa determinada área? O que é necessário para atingir níveis de excelência numa determinada actividade?

Ou, no original:

But how do the experts in these various subjects acquire their extraordinary skills? How much can be credited to innate talent and how much to intensive training? Psychologists have sought answers in studies of chess masters. The collected results of a century of such research have led to new theories explaining how the mind organizes and retrieves information. What is more, this research may have important implications for educators. Perhaps the same techniques used by chess players to hone their skills could be applied in the classroom to teach reading, writing and arithmetic.

Do artigo resulta a ideia de que o talento, a excelência é criada não inata, ou seja, parece ser muito mais o resultado de um estudo contínuo do que de habilidades mentais inatas!

Quais são, então, os tijolos para construir um especialista? Seguindo os pontos do Blog Disert Paths aqui ficam algumas ideias:

1. Tempo: a construção de estruturas cognitivas leva tempo. Herbert Simon, prémio Nobel e reputado investigador, estabeleceu uma regra de dez anos de investimento/treino intensivo para alguém se tornar um perito em algo. Este prazo e a necessidade de investimento quotidiano são já reconhecidos em termos de treino físico.

2. Desejo/vontade: o quanto alguém quer ser perito, o quanto está motivado para investir o seu tempo e disponibilidade na área em causa vale mais do que qualquer ideia (nada provada de acordo com o estudo) de que temos "jeito" ou de que nascemos para. É a nossa "disposição para" que marca a diferença.

É feita explícita referência no artigo ao terrível hábito dos professores de classificarem as crianças como tendo ou não jeito para as diferentes áreas!! E o quanto essa expectativa influencia de seguida o desempenho das mesmas crianças!!

3. Um professor/orientador: que "empreste" e apoie a apropriação/criação de estruturas mentais (teorias) que organizam a informação, absolutamente necessária!!, e formas de a agregar e mobilizar.

4. Desafios: é necessário que o aluno esteja sempre motivado a buscar realizações acima da sua capacidade em cada momento, caso contrário deixará de fazer progressos.

Dez anos passam num instante, é preciso começar JÁ!!!! :)

Experienciado por Maria @ 12:57 da tarde 1 comentarios


23 de agosto de 2006

European Educational Research Journal


The European Educational Research Journal is a peer-refereed international journal devoted to Europeanization in educational research. It publishes aspects of educational research which illuminate the cases and contents of the emerging borderless space of European educational research.
Está disponível on-line (2002-2006) e estive a ver os conteúdos em busca de textos (começo a desejar que não apareça mais nada...).

Seleccionei:

- Educational Research: what strategies for development in the European Research Area?
ALAN BROWN
University of Warwick, United Kingdom

- Observations from Quebec: the emergence of a research culture in education through legitimacy and universitarisation, 1940–2000
THÉRÈSE HAMEL & MARIE-JOSÉE LAROCQUE
Université Laval, Quebec, Canada

- Early Textbooks in Educational Research: the birth of a discipline
JOHN NISBET
University of Aberdeen, Scotland

- Revisiting Teaching Archetypes: identifying dominant shaping influences on student teacher’s identities
CIARAN SUGRUE
St Patrick’s College, Dublin, Ireland

- On the Possibilities of Educating Active and Reflective Teachers
MARIT HONERØD HOVEID & HALVOR HOVEID
Finnmark University College, Norway

- Educational Researchers’ Use of Information Services on the World Wide Web: a first report on the PERINE survey of educational researchers in eight European nations during 2001 and 2002
SAM SAUNDERS British Education Index, University of Leeds, United Kingdom
ELFRIEDE TAJALLI Austrian Federal Ministry for Education, Research and Culture, Vienna, Austria
ANITA MONTY Danish National Library of Education, Copenhagen, Denmark

- The Crisis in Educational Research: a pragmatic approach
GRAHAM BADLEY Anglia Polytechnic University, Chelmsford, United Kingdom

Só falta ler!!! :(

Experienciado por Maria @ 2:23 da tarde 1 comentarios


22 de agosto de 2006

Ciência

A imagem é um anúncio à revista Seed, mas o que me interessa é o portal Science Blogs que é patrocinado pela revista. Nas palavras dos próprios:

ScienceBlogs is a portal to this global dialogue, a digital science salon featuring the leading bloggers from a wide array of scientific disciplines. Our mission is to build a community of like-minded individuals who are passionate about science and its place in our culture, and give them a place to meet.

We believe in providing our bloggers with the freedom to exercise their own editorial and creative instincts. We do not edit their work and we do not tell them what to write about. We have selected our 40+ bloggers based on their originality, insight, talent, and dedication and how we think they would contribute to the discussion at ScienceBlogs. Our role, as we see it, is to create and continue to improve this forum for discussion, and to ensure that the rich dialogue that takes place at ScienceBlogs resonates outside the blogosphere.

-----------------------------------------------------------------------------

Encontrei lá link para isto (Cognitive Daily):

Young children's decisions about future mired in the present
Posted on: August 22, 2006 6:20 AM, by Dave Munger

A new study finds that 3- to 5-year-olds appear to conflate their future needs with those of the present. Young children who have been fed pretzels and are thirsty are more likely to say they'll need water tomorrow than pretzels. If they haven't eaten pretzels, they'll say they will need pretzels tomorrow.

One of the researchers, Cristina Atance, said the research will help adults understand childrens' needs:

We often see children object when mom asks them to put on their coat in a warm house before going outside into the cold, or when she tells them to bring water to the park when they are not yet hot and thirsty. Although we may think that the child is simply being disobedient, it may be that they don't understand that they might be cold or thirsty later.

The researchers found no difference in the responses of 3-, 4-, or 5-year-olds. They plan next to explore when children are accurately able to separate future needs from present needs. I'll submit that my 14-year-old isn't much different.

(via CogNews)

-------------------------------------------------------------------------------

E outro para isto (Pure Pediantry):

Look to the babies for (math) wisdom
Posted on: August 21, 2006 2:02 AM, by Jake Young

Babies smarter than average high school student:

In a discovery that could shed light on the development of the human brain, University of Oregon researchers determined that infants as young as six months old can recognize simple arithmetic errors.

The researchers used puppets to portray simple addition problems. For example, in order to illustrate the incorrect equation 1 + 1 = 1, researchers showed infants one puppet, then added a second. A board was then raised to block the infant's view of both puppets, and one was removed. When the board was lowered, only a single puppet remained.

To gauge the infants' ability to detect the error, researchers recorded the number of seconds the babies spent looking at the puppet.

According to the study, babies ranging from six to nine months old looked at incorrect solutions 1.1 seconds longer than correct ones. This extended viewing correlated with EEG measurements showing higher activity in a frontal area of the brain that is known to be involved in error detection in adults. The team's findings are published in the August 7th online edition of The Proceedings of the Natural Academy of Sciences.

Not to be glib, but if babies can do it why can't the average person working a McJob? What happens between infancy and adulthood that turns people into total idiots?

Oh wait...I remember...television, dating, middle school, their parents, and the other wonders of American life. So I guess it does make sense then.


Boas leituras!

Experienciado por Maria @ 2:08 da tarde 0 comentarios


21 de agosto de 2006

Júlia e Montessori

Hoje é dia de regresso ao passado, sempre a pensar no futuro! Ainda há pouco tive a visita surpresa da Júlia (outra maravilhosa ex-aluna) que me veio contar as suas aventuras pela Irlanda no programa Leonardo.

Esteve a estagiar num jardim-de-infância que seguia o método Montessori pelo que já a convidei a preparar uma sessão para partilhar quer a experiência do estágio no estrangeiro quer para nos contar sobre essa metodologia tão pouco utilizada em Portugal.

Beijos grandes

(Nota: aproveitei uma foto da Júlia com a mana gémea Cecília, daí as setas!!... ;)

Experienciado por Maria @ 7:48 da tarde 0 comentarios


Tânia e o Trapézio

A minha maravilhosa ex-aluna Tânia é agora propriétária de um ATL na ilha Terceira e enviou-me o url do novo site do dito cujo (aqui). Fui direitinha para a galeria de fotos ver se a encontrava e cá está ela! Com menos caracóis mas ainda capaz de gerir um grupo enorme na maior das calmas (característica dela durante o estágio que se mantém pelo número de chapéus debaixo do braço... :)

A Tânia foi a primeira pessoa que observei em estágio (a ela e à Mónica) já lá vão uns anitos... Sempre adorei ir às intervenções dela: fosse sopa, fosse pintura, fosse a construção de uma biblioteca, fazia com que tudo parecesse fácil apesar das 35 crianças à sua volta!

Beijos grandes!!

Experienciado por Maria @ 5:09 da tarde 2 comentarios


Pokémons

Em Fevereiro de 2005, postei na Intervir.net sobre os pokémons. Relatava um estudo realizado no Reino Unido em que (passo a transcrever):

investigadores colocaram a 109 crianças entre os 4 e 11 anos a seguinte tarefa: identificar 10 "espécies" de Pokémons (de entre os 150 presentes no conjunto inicial das cartas) e 10 tipos de vida selvagem britânica (pelo menos 2 plantas, 2 invertebrados, 2 mamíferos e 2 pássaros)apresentados em cartões de forma arbitrária. Adivinham os resultados?

As crianças demonstraram enorme capacidade de aprendizagem sobre criaturas (naturais ou inventadas pelo ser humano): com 8 anos as crianças identificam perto de 80% das amostras retiradas das 150 "espécies sintéticas".

Os criadores de Pokémon têm mais sucesso do que a escola e os biólogos... as crianças aprendem mais sobre Pokémons do que sobre a fauna do seu país: com idade para entrar no 3.º ciclo do básico nomearam menos de metade dos animais e plantas.
Precisa-se de uma maior ligação à natureza, diz a educação ambiental. Qual a estratégia? Criar cromos e uma série de desenhos animados sobre a fauna e flora? E porque não?...
Se preferirem, podem sempre ler o artigo original.

Hoje, graças ao Entre Textos, descobri uma entrevista ao Prof. Gilles Brougère que pode ser lida aqui, no Portal Educacional.

O título diz muito... "O interesse de estudar os Pokémons é para demonstrar que, às vezes, as crianças têm competências extraordinárias para aprender" e vai precisamente no sentido do estudo anteriormente referido: competências extraordinárias das crianças para lidarem com informação complexa e incapacidade de apropriação por parte dos professores dos interesses e investimento realizado pelas crianças nesse conhecimento.

Eu estou rendida ao estudo da cultura infantil desde que numa fila de hipermercado nos Açores eu e uma amiga minha ficámos boquiabertas a ver crianças que conhecíamos dos JIs a discutir calmamente esse conceito nada complexo de evolução, com base nos pokémons, claro.

O Francisco Sousa deu-me um excelente arranque de bibliografia no início deste ano e é uma área em que pretendo continuar a investir. Para além do trabalho do Noddy que foi desenvolvido o ano que passou (nota mental: escrever versão final para publicar), adoraria que algumas alunas pegassem em questões próximas nas monografias que vou orientar.

E agora caminha, tarde e más horas!! :P

Experienciado por Maria @ 4:28 da manhã 0 comentarios


Festas da Nossa Senhora dos Remédios

Lamego é conhecido pela Romaria e ela está aí a chegar. Já se nota pela agitação nas ruas, pela montagem das barraquinhas, pelo impossível do trânsito (com a respectiva relativização para quem viveu grande parte da vida em Lisboa...).

Já tinha visto o cartaz deste ano mas só hoje espreitei o programa. Para além do que se espera nas festas, eis que surge um motivo de interesse no programa musical: WOK Ritmo Avassalador. Logo no dia 24 de Agosto, na noite de abertura.

Muito fogo de artifício e muita arruada e mais dois motivos de interesse: o Festival Internacional de Folclore, a 28 de Agosto, e o Festival de Dança, a 4 de Setembro, com presença de grupos da Hungria e Itália.

Olhó cartaz:

Experienciado por Maria @ 1:34 da manhã 0 comentarios


recordações da Finlândia

como já tenho o leitor de cd a funcionar, posso finalmente partilhar as fotos da minha comunicação na Finlândia que a Joana já me entregou há séculos!!




Quem também andou por Tampere foi o Francisco Sousa que agora tem uma homenagem num blog dedicado à sua terra natal, os Biscoitos (sítio lindo, lindo e com uma praia fabulosa!).

Fica aqui a foto na sua intervenção no painel da Céu Roldão, Joana Campos, Carlos Silva e Luísa Alonso (o grupo maravilha de quem já tenho imensas saudades!!):

Experienciado por Maria @ 12:24 da manhã 2 comentarios


20 de agosto de 2006

ontem 2

o Nafergo conseguiu resolver todos os problemas do meu computador: já estou mais rápida, já tenho bluetooth, já tenho leitor de cd.

graças a esses progressos, aqui ficam umas fotos que andavam perdidas e que mostram bocadinhos deste mês de férias (??!!)...

Fomos (únicas) testemunhas da tomada de posse da nova AE do Pólo:


Espreitámos a Feira do Livro de Óbidos:



E, claro, fomos "brincar" no Mercado Medieval de Óbidos:


Mais recentemente, andei de carrossel com o meu sobrinho lindo e com a avó Manela:

Experienciado por Maria @ 7:52 da tarde 2 comentarios


ontem

Não choveu e apesar do fresquinho da noite, lá fomos a Vila Real (sim, desta vez conseguimos concretizar um plano!!). Deixo aqui uma foto, as restantes estão no Imagens M-X.


A Fanfare Ciocarlia tocou a sua música fantástica e cumpriu a "ameaça" do costume: vir tocar para o meio do público. Não tivemos bailarinas no palco mas um grupo na audiência cheio de energia. Lá no meio até encontrámos a Raquel.

E hoje já é dia 20...

Experienciado por Maria @ 4:39 da tarde 1 comentarios


19 de agosto de 2006

esta manhã...

- estive com uma das minhas orientandas de formação especializada;

- andei pela Rede de Revistas Científicas da América Latina, Caribe, Espanha e Portugal (ou Redalyc) ...

... e percorri todas as revistas de educação. encontrei vários artigos para o doutoramento e consegui escapar à tentação de ir ver uns quantos para as aulas!!

gostei particularmente da Cinta de Moebio, revista que
se ha propuesto como misión constituirse en la revista de epistemología de ciencias sociales más importante de América Latina. Pretende congregar a los académicos latinoamericanos que desarrollan su interés en el ámbito del conocimiento de las disciplinas humanas y apoyar mediante sus artículos a los programas de postgrado de la región.

- ainda tive tempo de passar pelo Scielo Portugal e confirmar que a Sociologia, Problemas e Práticas e a Análise Psicológica não têm nenhum artigo pertinente para o meu estudo.

- vou agora para casa, almoçar... lindas horas!!

Experienciado por Maria @ 1:51 da tarde 0 comentarios


Concerto em Vila Real

esperemos que o tempo permita esta saídinha até ao Teatro de Vila Real para assistir ao concerto da Fanfare Ciocarlia.

A Fanfare Ciocarlia, formação cigana tida como uma das bandas de metais mais rápidas do mundo, é originária da Roménia, onde foi proibida de actuar durante a ditadura de Ceausescu. Na actualidade, faz concertos por todo o mundo, tendo as suas actuações a fama de inesquecíveis e arrebatadoras. Pitorescamente, os elementos da fanfarra queixam-se da falta de tempo para estar com as famílias e das saudades que sentem de tocar nos casamentos da sua aldeia. Doze músicos em palco, uma noite em que o som não pára. A Banda venceu o prémio BBC World Music 2006.

Experienciado por Maria @ 12:03 da tarde 1 comentarios


8 de agosto de 2006

Divagações... encontros... e leituras...

Com alguma vergonha admito só hoje ter visitado um site da gulbenkian dedicado à leitura, como o nome leitur@gulbenkian deixa entender...
Gostei da secção Rol de livros que trata de "recensões críticas sobre o que de mais relevante entre nós se edita desde os anos 60 do passado século, quer se trate de originais portugueses, quer de traduções. Actualizada mensalmente, esta rubrica inclui apreciações feitas por quarenta e seis personalidades, cujos nomes poderá encontrar no campo Autor Recenseador, na pesquisa".
E é sempre giro saber quais foram os Livros da minha vida de algumas personalidades portuguesas. Para além das propostas listas dos 20 livros que as mesmas pessoas consideram imprescindível que um jovem ou uma jovem devam ter lido aos 20 anos.



Ainda no site da Gulbenkian encontrei este
SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE BIBLIOTECAS ESCOLARES
25 de Setembro de 2006 - Auditório 2 da Fundação Calouste Gulbenkian

E fiquei a conhecer melhor o THEKA - Projecto Gulbenkian de Formação de Professores para o Desenvolvimento de Bibliotecas Escolares (THEKA no site da Gulbenkian)

O terceiro curso, a desenvolver em 2006/2007 no âmbito deste projecto, decorrerá no Porto. Candidataram-se docentes da área geográfica correspondente aos territórios da DREN - Distritos do Porto, Braga, Viana do Castelo, Bragança e Vila Real, e da DREC - Distritos de Aveiro, Coimbra, Guarda e Viseu. A Fundação Calouste Gulbenkian procurará dar resposta divulgando a seriação dos(as) candidatos(as) e a lista final de formandos admitidos até 31 de Julho de 2006.
Para saber mais sobre o projecto THEKA, clique aqui.

Ainda bem que fiquei a divagar em vez de ir logo para a caminha! ;D

Experienciado por Maria @ 2:19 da manhã 2 comentarios


7 de agosto de 2006

A expectativa...









Andava eu a passear na Gradiva (por causa do post anterior) quando descobri esta novidade: a edição da colecção "Hell/Inferno" do Matt Groening em português!

Claro que o meu favorito é "School is hell", principalmente por causa da lição #19, brilhante!

A expectativa reside sobre a data em que sairá em português... antes ou depois do meu doutoramento começar a ganhar forma??!! (já nem digo acabar pois não quero privar ninguém dessa leitura fabulosa durante os anos que isto vai demorar ... suspiro... suspiro... suspiro...)

Experienciado por Maria @ 1:33 da manhã 0 comentarios


Leitura do momento












Além dos 34562572312391 artigos que estou a tentar organizar nos dossiers (doutoramento é assim...), ando a ler este livrinho, da Gradiva, que parte da questão "O QUE FAZ UMA CRIANÇA DECIDIR TORNAR-SE CIENTISTA?", apresentando as reflexões de vários cientistas da actualidade. Deixo a lista.



• Para Paul Davies, físico teórico, tratou-se de uma vocação. Mesmo perante o cepticismo da família – «Ninguém te vai pagar só para ficares sentado a pensar» – Davies nunca vacilou. Sentia uma inquietação que o impelia naquele sentido. E foi.

• Daniel C. Dennett, filósofo, teve uma gazela como animal de estimação. Mas não está certo de que isso o tenha influenciado nas escolhas que fez.

• Steven Pinker, psicólogo experimental e estudioso da linguagem, atribui as suas escolhas – e as de todas as pessoas – aos genes e ao acaso. Mas adverte o leitor para a falsidade de todas as suas declarações…

• Freeman Dyson, físico, conta-nos uma história extraordinária: na cama de grades, sem sono, começa a fazer cálculos e descobre que somando uma unidade, um meio, um quarto, um oitavo, e assim sucessivamente, se obtém dois.

• Richard Dawkins, zoólogo, afirma ter adquirido a sua sensibilidade para o mundo natural graças às leituras de infância, em especial as aventuras e desventuras do Dr. Dolittle, que o levaram a compreender melhor Darwin e a rejeitar o «especismo».

Espíritos Curiosos é uma fascinante colectânea de ensaios de vinte e sete dos mais interessantes cientistas mundiais sobre os momentos e acontecimentos das suas infâncias que os induziram nos caminhos que acabariam por definir as suas vidas. Neste livro, a autobiografia esclarecedora e a escrita científica de qualidade aliam-se em ensaios que nos convidam a reflectir sobre aquilo que diferencia e desperta a mente científica (daqui)

Aconselho MUITO!, é espectacular. Podem tb ler as críticas na Amazon.


Experienciado por Maria @ 1:20 da manhã 3 comentarios


Contagem decrescente para Genebra - II

Diz a Mónica (obrigada!! :) para eu não me preocupar que em Genebra há indicações claras e fáceis de encontrar. Transportes para trás das costas, é altura de olhar para o tempo que vou encontrar.

Vou pôr aqui os links para ir olhando:

AccuWeather

Euroweather

CNN

Wunderground

Vou-me armar em Turista Virtual e ver algumas pistas, para além das da Mónica (thanks again), de exploração da cidade. Afinal é uma semana por lá! ;D

Museu da Cruz Vermelha, Nações Unidas e igrejas nas Ruas do Purgatório e do Inferno (LOLOLOL) já estão na lista de coisas para fazer! Para além do lago e do jacto de água...

Info detalhada sobre transportes, aqui.

Site que ajuda a escolher sítios para comer em Genebra (?!), aqui.

Amanhã há mais!

Experienciado por Maria @ 12:35 da manhã 0 comentarios


5 de agosto de 2006

Contagem decrescente para Genebra

Estou a tratar da marcação da viagem e a ver o programa da conferência (tem que se pesquisar por palavra-chave ou apelido do autor). Vou estar em Genebra durante uma semana (de 10 a 16 de Setembro) o que deixa muito tempo para passear!


A conferência ECER 2006 vai decorrer na Universidade de Genebra que também me vai dar muito prazer conhecer. Parece que os edíficos Uni-Mail e Uni-Pignon onde decorrem os trabalhos são relativamente novos... Tenho que começar a situá-los no mapa!
Vou ficar na residência universitária... que é isto:











Os transportes dentro de Genebra estão a revelar-se um verdadeiro problema... Tenho que investigar com mais atenção amanhã!

Experienciado por Maria @ 12:42 da manhã 2 comentarios


1 de agosto de 2006

Profs do ensino superior no desemprego: formai-vos!

Estou em pulgas à espera de pormenores e esclarecimento de algumas dúvidas, mas esta notícia deu-me novo ímpeto (financeiro...) para o doutoramento:

Docentes no desemprego ou com contratos precários
Ministro do Ensino Superior anuncia programa de formação para professores
31.07.2006 - 18h08 Lusa

Dar uma oportunidade de formação avançada a professores das universidades e institutos politécnicos no desemprego com contratos de trabalho precários é o objectivo de um programa de qualificação que vai arrancar no próximo ano lectivo, anunciou hoje o ministro do Ensino Superior.

"Existem muitas escolas de ensino superior em Portugal onde uma percentagem muito elevada dos docentes só tem o grau de licenciado e tem uma formação profissional, técnica e científica débil. É preciso qualificar essas pessoas", afirmou Mariano Gago, no final de uma reunião com os representantes da Federação Nacional dos Professores (Fenprof) e do Sindicato Nacional do Ensino Superior (SNESup).

"O propósito do Governo é fazer com que as pessoas com qualificações elevadas estejam empregadas e aquelas que não têm as qualificações necessárias, de alto nível, possam ter uma oportunidade para se qualificarem nos próximos anos”.

Para Mariano Gago, "não é razoável que uma pessoa com qualificações superiores e que tenha sido durante vários anos docente do ensino superior fique no desemprego, só porque a escola onde trabalha neste momento não tem estudantes".

"Não estou preocupado com o subsídio de desemprego, mas com o emprego [dos professores]. Mandá-los para casa com subsídio de desemprego seria um sub-aproveitamento porque eles são precisos nessa ou noutra instituição. O que é preciso é qualificar essas pessoas", reiterou Mariano Gago, ressalvando que "os detalhes [deste programa] têm de ser acertados com as instituições e os sindicatos".

Sindicatos dizem que programa não resolve tudo mas é importante

Paulo Peixoto, presidente do SNESup, adiantou que o programa hoje anunciado por Mariano Gago prevê a atribuição aos docentes de um apoio financeiro, superior ao valor das propinas, através da concessão de uma bolsa.

"É um programa benéfico que, embora não resolva o problema do desemprego, permite a requalificação dos professores que ficaram sem dar aulas. Este mecanismo de formação facilita a sua inserção profissional".

Também João Cunha e Serra, da Fenprof, considerou que "o programa não resolve tudo, mas é muito importante", facilitando a qualificação dos professores, através do regime de bolsas.

Segundo este dirigente, 75 por cento dos cerca de nove mil professores dos institutos politécnicos públicos têm contratos administrativos de provimento, uma espécie de contratos a prazo, sem possibilidade de renovação automática, que não dão direito a subsídio de desemprego.

A situação destes docentes tem vindo a agravar-se nos últimos anos e muitos têm ficado desempregados, uma vez que a redução do número de alunos tem feito diminuir o financiamento das instituições de ensino superior.

A Fenprof e o SNESup estiveram hoje reunidos com Mariano Gago para debater a situação precária dos docentes do ensino superior.

Espero que o meu contrato precário me dê direito a bolsa... :)

Quanto aos professores no desemprego que, a propósito de alguns comentários, descontaram!, não me parece que seja a solução. É claro que, como em qualquer situação, formação que permita qualificação é uma mais valia e se for uma forma de produzir conhecimento no país é uma excelente jogada, mas continua sem se aceitar porque não há direito ao subsídio de desemprego...

Experienciado por Maria @ 11:47 da tarde 0 comentarios


A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal
Minha página

Eu no LinkedIn

your virtual pet!

Noutros sítios:
Fotos no Flickr.com
Projecto NetInfância
Registos do doutoramento
Blogs de PP
A par e passo

Posts daqui:

Powered by Blogger
Design by Beccary

PapaFormigas.com